You are currently viewing Setembro Amarelo: a importância de conversar sobre saúde mental nas escolas
setembro amarelo nas escolas

Setembro Amarelo: a importância de conversar sobre saúde mental nas escolas

Setembro Amarelo: A adolescência é uma fase que costuma trazer uma série de mudanças físicas e emocionais, o que pode acabar afetando a saúde mental dos jovens. Por isso, trabalhar a campanha Setembro Amarelo nas escolas é uma forma de conscientizar os alunos e profissionais sobre a prevenção ao suicídio e incentivar a busca por ajuda psicológica quando necessário.

A campanha Setembro Amarelo foi criada em 2015 pelo Centro de Valorização da Vida (CVV), Conselho Federal de Medicina (CFM) e Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) como conscientização sobre a prevenção do suicídio. A data foi escolhida como parte das ações do Dia Mundial de Prevenção do Suicídio, em 10 de setembro.

O suicídio é um assunto bastante delicado, mas é importante que seja debatido na sociedade como uma forma de prevenção visando a salvar vidas.

Por que é importante debater sobre suicídio nas escolas?

Durante a infância e adolescência a escola é um dos principais espaços de sociabilização e formação.

É neste ambiente que as crianças e adolescentes passam a maior parte do tempo, o que possibilita a identificação de comportamentos como: queda do rendimento escolar, isolamento, dificuldade de relacionamento, sinais de automutilação, abuso de álcool e drogas e entre outros sinais que a saúde mental do aluno pode estar sendo prejudicada.

Assim, as escolas possuem um papel importante na prevenção e acolhimento dos alunos de diversas idades, incentivando a busca por ajuda psicológica especializada.

Nesse sentido, o gestor também é responsável por criar um ambiente seguro com uma cultura de diálogo que promova o senso de comunidade e pertencimento de alunos, professores e demais profissionais.

Como abordar o Setembro Amarelo nas escolas?

Em primeiro lugar, é importante que a abordagem do Setembro Amarelo nas escolas seja em um espaço seguro, deixando claro para os alunos que eles estarão livres de julgamentos.

A partir disso, é fundamental estimular o diálogo e a empatia, evitando situações de discriminação e estigmas relacionados à saúde mental. Algumas formas de falar sobre a campanha nas instituições de ensino são:

Palestras

Para realizar uma palestra o gestor pode convidar profissionais da psicologia ou pessoas que trabalham na prevenção do suicídio, como voluntários do CVV ou ONG’s da comunidade.

Durante a ação é importante ensinar os jovens a identificar os fatores de risco e apontar algumas soluções como terapia, exercícios físicos, mudança de hábitos nocivos, entre outros…

Assim, os alunos e professores poderão tirar dúvidas e entender melhor os fatores que podem levar o jovem ao suicídio, quais são os sinais e como lidar com esses problemas.

Rodas de conversa e debates

Outra forma de abordar o tema e fomentar o diálogo sobre assuntos de saúde mental é criar rodas de conversa e debates mediados por um professor ou profissional de psicologia.

Neste momento, os alunos poderão discutir suas experiências, tirar dúvidas e dizer o que pensam sobre o tema…

Além disso, em um espaço seguro para a conversa é possível entender melhor como os alunos estão e identificar potenciais fatores de risco.

Cartazes e ações feitas pelos alunos

Uma maneira de envolver os alunos no tema e incentivar o diálogo é propor a criação de cartazes e fixação na escola para atrair a atenção das pessoas.

Com o auxílio dos professores, os adolescentes irão pesquisar sobre o assunto e debater com outros grupos de uma forma prática e criativa.

Além disso, os docentes podem utilizar filmes, séries de televisão, livros, músicas e outros exemplos da cultura pop para estimular o debate.

O Setembro Amarelo é uma oportunidade para a instituição abordar assuntos relacionados à saúde mental e promover a conversa entre alunos, professores e a comunidade escolar.

Onde procurar ajuda?

LIGUE 188

Você pode conversar com um voluntário do CVV ligando para 188 de todo o território nacional, 24 horas todos os dias de forma gratuita.

No CVV você é atendido por um voluntário, com respeito, anonimato, que guardará estrito sigilo sobre tudo que for dito e de forma gratuita.
Os voluntários são treinados para conversar com todas as pessoas que procuram ajuda e apoio emocional.

Se você preferir, você pode enviar uma carta ou conversar pessoalmente com um voluntário do CVV em horário comercial. Consulte os endereços dos postos do CVV, no link abaixo:

Dessa maneira, como em qualquer outra forma de contato com o CVV, você é atendido por um voluntário, com respeito, anonimato, e que guardará estrito sigilo sobre tudo que for dito.

LINKS ÚTEIS

Para conhecer mais sobre voluntariado, apoio emocional, prevenção do suicídio, saúde mental e outros temas afins, acesse também:

Fonte: CVV (CENTRO DE VALORIZAÇÃO DA VIDA) – https://www.cvv.org.br/
https://horario.com.br/blog/setembro-amarelo-a-importancia-de-conversar-sobre-saude-mental-nas-escolas/
Nova Escola – https://novaescola.org.br


PREPARAMOS CONTEÚDOS GRATUITOS PARA AJUDAR VOCÊ NESSA JORNADA

Participe do nosso grupo de dicas e conteúdos GRATUITOS EJA SUPLETIVO 📚 TELEGRAM E FACEBOOK
👉🏽Conteúdos exclusivos 📚👩🏽‍💻
✅ Dicas e materiais✅ Notícias e planejamento


Acesse nosso site totalmente gratuito de resolução de questões.📝💻

👉🏽 QUESTÃO EXPRESS: mais de 200 mil questões de 40 áreas do conhecimento

Ficou com alguma dúvida? 🤔     

Entre em contato em nossos canais de atendimento

Central de Atendimento:

☎ (11) 4580-0797/ Ramal 6203 ou 6209
📱 WhatsApp: (11) 99447-8241 – wa.me/511194478241

Segunda a sexta-feira: 9h às 18h 
Matriz – Rio Grande do Sul   
Av. Carlos Gomes, 222 – 8º andar – Boa Vista – Porto Alegre/RS Cep: 90480-000.